Texto Bíblico: Leia Tiago 4.13-17

Introdução

Depender de Deus é mais importante do que dizer as palavras certas, “Se Deus quiser”. Na Bíblia aprendemos que não há nada de errado em fazer planos ou projetos nesta vida. “Nós lemos em todos os lugares nas Escrituras que os santos servos de Deus falaram incondicionalmente das coisas futuras, quando ainda assim tinham como um princípio fixo em suas mentes, que não podiam fazer nada sem a permissão de Deus” (João Calvino).
Como viver com esse “princípio fixo” em nossa mente? (1) Nos submetendo à soberania de Deus, pois Ele governa o mundo e dirige até mesmo os menores detalhes da vida (leia novamente o estudo do dia 15.03.2015); (2) Contendo o nosso orgulho, pois isso silenciará nossa arrogância; (3) Sendo obedientes à vontade de Deus, porque não há melhor atitude contra a autossuficiência do observar a Lei de Deus.

Contenha seu Orgulho, porque fazer o contrário é mau!

“Agora, entretanto, vos jactais das vossas arrogantes pretensões. Toda jactância semelhante a essa é maligna” (v.16). Havia um problema muito real entre os ouvintes de Tiago. Perceba que ele mostra o contraste: “Agora, entretanto” ou “Mas, na verdade, na verdade”, vocês estão ostentando arrogantemente sobre seus planos e intenções. A expressão “jactar-se” significa “gloriar-se por causa de algo”. Neste caso, essas pessoas se gloriavam de suas próprias ambições. A palavra para “arrogância” implica uma jactância vazia que procura impressionar os outros. Aqueles cristãos estavam fazendo alegações extravagantes que não poderiam jamais cumprir. Tudo isso é devido ao orgulho: uma manobra para ganhar a aprovação e atenção dos outros. Eles viviam mais preocupados em impressionar os outros do que em dobrar seus corações à vontade divina.
O apóstolo João usa a mesma expressão quando adverte que um espírito mundano nunca deveria caracterizar o filho de Deus. Ele lembrou aos cristãos da Ásia Menor que a única coisa que um mundo longe de Deus pode oferecer é “soberba da vida” (I João 2:17). “… porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo. Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente” (1Jo 2.16-17). Desafiar o Deus vivo é sinal de arrogância.

Aplicação

Então, o que devemos fazer? Converter nossa língua arrogante; e mais ainda, converter a atitude arrogante do nosso coração. À medida que vivemos com a consciência de que devemos nos curvar em submissão à vontade soberana de Deus, o Espírito Santo por sua Palavra irá conter nossa língua do orgulho e da arrogância. Um coração inclinado na direção certa certamente irá silenciar a língua arrogante.

Pr. Alan Kleber