Texto Bíblico: Leia Zacarias 1.1-6

Introdução

1. Quem escreveu o Livro? Zacarias (Zc 1.1), cujo nome significa “O SENHOR se lembra”. Nascido provavelmente durante o cativeiro babilônico, era descendente da linhagem sacerdotal. Zacarias voltou com os primeiros judeus para Jerusalém, sendo chamado por Deus como profeta, para animar os construtores com uma visão gloriosa do futuro.
2. Quanto durou seu ministério? Provavelmente, entre 520-518 a.C.
3. Pensamento-chave do Livro: DEUS é por este trabalho.
4. Versículo-chave: Zacarias 14.9.
5. Como o Livro se divide? Através de 8 visões dadas em uma única noite. Estas lidam com uma grande variedade de temas (Zc 1.1-21–6.1-15).

Nota: A expressão “Assim diz o SENHOR” é encontrada 89 vezes no Livro. O termo “O SENHOR dos Exércitos”, 36 vezes. Zacarias contém promessas mais específicas relativas à crucificação do que qualquer outro livro do Antigo Testamento, exceto o Livros dos Salmos (Zc 9.9; 11.12, 13; 13.6, 7).
6. Chave para entender o Livro: A) Apesar das circunstâncias miseráveis e da oposição contra o povo escolhido, Deus sempre vence e com ele, o seu povo. O crente não deve colocar sua esperança, o tempo todo, neste mundo e em suas circunstâncias. B) Há um poder superior agindo em todo o tempo, preparando o seu povo para a eternidade. A nação judaica é apenas um exemplo do grande amor de Deus para com os filhos dos homens. O futuro imediato de Israel aponta para o futuro com Cristo. C) O interesse vigilante de Deus sobre outras nações é claramente demonstrado tanto em relação ao seu pecado e idolatria, como também em referência ao seu tratamento de Israel. Uma imagem deliciosa do futuro é apresentada na felicidade futura de Sião com ruas cheias de crianças (8:3-5) e em todas as nações do mundo vindo aprender com os judeus acerca do seu Deus (Zacarias 8:22, 23).

I. A Ira de Deus – O Caminho para se entender o sentido verdadeiro arrependimento

“No oitavo mês do segundo ano de Dario, veio a palavra do SENHOR ao profeta Zacarias, filho de Baraquias, filho de Ido, dizendo: O SENHOR se irou em extremo contra vossos pais” (Zc 1.1, 2)

1. O que significa?

– A ira de Deus é a santa indignação que Ele sente todos os dias contra os pecadores, pois estes encontram-se em um estado de constante rebelião contra o Senhor de toda a Terra.
– Seu contraste com o amor: Todo aquele que crê no Filho tem a vida eterna, mas aquele que não crê já está julgado e sobre ele permanece a ira de Deus (Êxodo 34:6-7; Deuteronômio 7:7-11; João 3:16,36).

2. Seu objetivo

No Antigo Testamento, a ira de Deus era direcionada para as pessoas, não para pecado de forma abstrata. Perceba então que a frase tão comum que diz, “Deus odeia o pecado, mas não o pecador”, promove uma separação semelhante ao dualismo gnóstico, separando o pecado do pecador.
– Explicação simples da ira de Deus (2Cr 36.15-16).

– O Senhor tem o direito e até mesmo razão para estar irado contra seu povo (Jr 3.11-14).
– A declaração da ira de Deus é sempre acompanhada do chamado divino ao arrependimento (Hb 3.7-12).

Aplicação:

“Enquanto Deus é amor, e ao mesmo tempo os pregadores do evangelho devem pregar essa gloriosa verdade, não devem esconder o fato de que Deus é um fogo consumidor, e está irritado com o ímpio todos os dias”
(Tim Moore)
“O sinal de uma sociedade doente é quando estamos dispostos a ouvir apenas os pronunciamentos do amor de Deus e não às mensagens que também declaram a ira de Deus contra o pecado” (Walter Kaiser Jr)

II – Convertei-vos, já, dos seus maus caminhos

Portanto, dize- lhes: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Tornai- vos para mim, diz o SENHOR dos Exércitos, e eu me tornarei para vós outros, diz o SENHOR dos Exércitos. Não sejais como vossos pais, a quem clamavam os primeiros profetas, dizendo: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Convertei- vos, agora, dos vossos maus caminhos e das vossas más obras; mas não ouviram, nem me atenderam, diz o SENHOR. Vossos pais, onde estão eles? E os profetas, acaso, vivem para sempre? Contudo, as minhas palavras e os meus estatutos, que eu prescrevi aos profetas, meus servos, não alcançaram a vossos pais? Sim, estes se arrependeram e disseram: Como o SENHOR dos Exércitos fez tenção de nos tratar, segundo os nossos caminhos e segundo as nossas obras, assim ele nos fez (Zc 1.3-6)

Deus falou através de Zacarias e Ageu, seu contemporâneo colega de ministério, para os primeiros judeus pós-exilados, os quais estavam abatidos com a forte oposição das nações ao redor de Jerusalém que levou a obra de reconstrução a parar (Ed 4–6 ). Esses profetas foram levantados pelo SENHOR dos Exércitos para agitar seus corações e renovar seus trabalhos.
Enquanto o fardo de Ageu parecia ser a vida religiosa do povo, o de Zacarias era concentrar-se nas questões nacionais e políticas. Ao longo de dois anos, ele foi usado por Deus para levar a cabo a restauração do templo. Seu ministério principal parecia apontar para futuro prevendo tanto a primeira vinda do Messias e como seu retorno em poder e grande glória.

Zacarias estava menos preocupado com o verdadeiro trabalho de reconstrução do que ele estava com o significado teológico do que estava acontecendo. Ele começou seu ministério profético após Ageu, mas antes de ele terminar. Ageu começou no sexto mês do segundo ano do reinado de Dario (Ag 1.1) e Zacarias, no oitavo mês (Zc 1.1). Depois da perseverante profecia de Ageu no sétimo mês (Ag 2.1), Zacarias seguiu com sua profecia.

Enquanto a missão de Ageu foi a reconstrução do templo, exortando ao povo à obediência externa ao chamado do SENHOR pela reforma do Templo de Jerusalém, Zacarias pregou por um reforma interna – a reconstrução das ruínas espirituais do coração. Os crentes deveriam fazer mais do que reconstruir.

Aplicação:

Temos aqui um ponto maravilhoso para nós: atos de serviço, seja na igreja ou para com os necessitados, não podem tomar o lugar de uma relação intensamente dedicada ao Senhor. Embora seja simplista sugerir, que Ageu estava apenas preocupado com as aparências, é justo salientar que a sua principal missão envolveu a reconstrução do Templo. Mas isso em si já era um ato de obediência, que mostraria frutos visíveis. Do mesmo modo, Zacarias chamou o povo ao arrependimento profundo, pois este resultaria em grandes e belos frutos de obediência.

Pr. Alan Kleber